sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Indicadores financeiros de agosto 2017

% Mensal
2017
CDI
IBOVESPA
DOLAR
IGP-M
POUPANÇA
Janeiro
1,0845
7,38
-4,05
0,64
0,6709
Fevereiro
0,8638
3,08
-0,89
0,08
0,5304
Março
1,0504
-2,52
2,23
0,01
0,6527
Abril
0,7431
0,65
0,95
-1,10
0,5000
Maio
0,9256
-4,12
1,42
-0,93
0,5768
Junho
0,8081
0,30
1,99
-0,67
0,5539
Julho
0,7972
4,80
-5,37
-0,72
0,5626
Agosto
0,8015
7,46
0,52
0,10
0,5512
Acumulado
7,2965
17,62
-3,44
-2,57
4,6920
Fontes:
CDI - Fonte CETIP; IBOVESPA, DOLAR(BACEN) - Fonte BM&FBOVESPA; IGP-M - Fonte FGV; POUPANÇA - Fonte BACEN.
O CDI registrou uma taxa de 0,8015% em Agosto. Acumula 7,2965% no ano . O Ibovespa subiu 7,46%. No ano a bolsa acumula 17,62% . Já o Dólar teve uma alta de 0,52% no mês, com variação de -3,44% no ano . O IGP-M registrou uma inflação de 0,1%, com variação anual de -2,57%.  A poupança, considerando o primeiro dia útil do mês de referência, rendeu 0,5512%, apresentando um rendimento acumulado no ano de 4,692%.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Projeção do CDI de setembro 2017

Veja neste vídeo a previsão da taxa Selic Meta para a próxima reunião do COPOM de 5 e 6 de setembro próximo.
Saiba qual a projeção para o rendimento da poupança a partir da próxima reunião do COPOM, que deverá cair abaixo de 0,50% ao mês + TR.
E veja também a projeção para o CDI de setembro, que deverá ficar bem abaixo do CDI de agosto.



Bons investimentos!

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Onde é mais seguro investir: no banco ou na corretora?

FGC – Fundo Garantidor de Crédito

Quando você investe seu dinheiro no mercado financeiro você deve analisar a rentabilidade, a liquidez e a segurança. A segurança tem haver com o risco. E para o caso de risco do emissor (banco quebrar) existe a proteção do FGC.

FGC – Fundo Garantidor de Crédito, que tem como um dos principais objetivos cobrir parcialmente o risco de crédito. Aquele do banco emissor. Caso o emissor fique insolvente o FGC garante as aplicações do investidor até o limite de R$250.000,00 por CPF ou CNPJ.

Limite de Cobertura

O total de créditos de cada pessoa contra a mesma instituição associada, ou contra todas as instituições associadas do mesmo conglomerado financeiro, será garantido até o valor de R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais), limitado ao saldo existente.

      
Para efeito da determinação do valor garantido dos créditos de cada pessoa, devem ser observados os seguintes critérios:
     
a) titular do crédito é aquele em cujo nome o crédito estiver registrado na escrituração da instituição associada ou aquele designado em título por ela emitido ou aceito;
b) devem ser somados os créditos de cada credor identificado pelo respectivo Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) / Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) contra todas as instituições associadas do mesmo conglomerado financeiro;


Nas contas conjuntas, o valor da garantia é limitado a R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais), ou ao saldo da conta quando inferior a esse limite, dividido pelo número de titulares, sendo o crédito do valor garantido feito de forma individual.

São objeto da garantia proporcionada pelo FGC os seguintes Créditos:

I-Depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio;

II-Depósitos de poupança;
III-Depósitos a prazo, com ou sem emissão de certificado;
IV-Depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos referentes à prestação de serviços de pagamento de  salários, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares;
V-Letras de câmbio;
VI-Letras imobiliárias;
VII-Letras hipotecárias;
VIII-Letras de crédito imobiliário;
IX-Operações compromissadas que têm como objeto títulos emitidos após 8 de março de 2012 por empresa ligada.


Não são cobertos pela garantia ordinária os demais créditos, incluindo:

I-Os depósitos, empréstimos ou quaisquer outros recursos captados ou levantados no exterior;

II-As operações relacionadas a programas de interesse governamental instituídos por lei;
III-Os depósitos judiciais;
IV-Qualquer instrumento financeiro que contenha cláusula de subordinação, autorizado ou não pelo Banco Central do Brasil a integrar o patrimônio de referência das instituições financeiras e das demais instituições autorizadas a funcionar pela referida Autarquia.

Para saber sobre as garantias das aplicações realizadas através das corretoras lei nosso post:

Riscos de Investir através de Corretoras


Riscos de Investir através de Corretoras

A garantia que existe e que ninguém te contou!

MRP – Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízo.

Quando você investe seu dinheiro através de uma corretora, seja em ações, debêntures ou tesouro direto, você tem que passar o dinheiro do seu banco para a conta da sua corretora. Da mesma forma, no resgate, o dinheiro passa pela conta da corretora primeiro para depois ser transferido para a sua conta bancária (aí que mora o perigo).

Muitas operações realizadas no ambiente da BM&FBOVESPA são liquidadas em D+1, D+2 (Tesouro Direto) e até D+3 (Ações), neste lapso o seu dinheiro fica parado na Corretora, mesmo que você tenha solicitado à corretora fazer a aplicação na mesma data que você transferiu o dinheiro do seu banco para a sua corretora. O mesmo vale para os resgates.

Outro ponto a considerar é no caso da sua ordem de compra ou venda ser executada de modo infiel, ou seja, em desacordo com a solicitação do investidor, causando-lhe prejuízo.

O MRP é um mecanismo de ressarcimento de prejuízos que protege o investidor até o limite de R$120.000,00, semelhante ao que ocorre com o FGC – Fundo Garantidor de Crédito, nas operações de renda fixa realizada nos bancos. Esta proteção só é válida para transações provenientes de operações da BM&FBovespa.

Caso o investidor se sinta prejudicado em função de uma execução infiel de uma ordem, ou no caso de falência (liquidação extrajudicial) da corretora ele pode recorrer à BSM – BM&FBOVESPA Supervisão de Mercados e apresentar uma reclamação, a qual será analisada pela própria BSM e, sendo julgada procedente, o investidor terá seu prejuízo coberto. Outros casos decorrentes de erros operacionais, tecnologia, sistemas, também são passíveis de ressarcimento.


Fonte: BSM

Pessoal! compartilhem esse post, quase ninguém sabe disso e é muito importante esclarecer os investidores sobre seus direitos e garantias.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Indicadores financeiros de julho 2017

% Mensal
2017
CDI
IBOVESPA
DOLAR
IGP-M
POUPANÇA
Janeiro
1,0845
7,38
-4,05
0,64
0,6709
Fevereiro
0,8638
3,08
-0,89
0,08
0,5304
Março
1,0504
-2,52
2,23
0,01
0,6527
Abril
0,7431
0,65
0,95
-1,10
0,5000
Maio
0,9256
-4,12
1,42
-0,93
0,5768
Junho
0,8081
0,30
1,99
-0,67
0,5539
Julho
0,7972
4,80
-5,37
-0,72
0,5626
Acumulado
6,4433
9,45
-3,94
-2,67
4,1181
Fontes:
CDI - Fonte CETIP; IBOVESPA, DOLAR(BACEN) - Fonte BM&FBOVESPA; IGP-M - Fonte FGV; POUPANÇA - Fonte BACEN.
O CDI registrou uma taxa de 0,7972% em Julho. Acumula 6,4433% no ano . O Ibovespa subiu 4,8%. No ano a bolsa acumula 9,45% . Já o Dólar teve uma baixa de -5,37% no mês, com variação de -3,94% no ano . O IGP-M registrou uma deflação de -0,72%, com variação anual de -2,67%.  A poupança, considerando o primeiro dia útil do mês de referência, rendeu 0,5626%, apresentando um rendimento acumulado no ano de 4,1181%.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Projeção do CDI de agosto 2017

Veja como eu fiz! Rápido e fácil.


Considerando que o mês de agosto tem 23 dias úteis, e que na próxima reunião do COPOM, agendada para 26 e 27 de julho, espera-se uma redução da meta Selic de 10,15%  a.a. para 9,15% a.a. projetamos uma taxa efetiva de 0,80% para o mês de agosto de 2017.

Bons investimentos!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Simulador Tesouro Selic

Simulador tesouro selic é um aplicativo desenvolvido em Excel que lhe permite projetar a rentabilidade futura de uma aplicação no Tesouro Direto LFT.
Com ele você pode fazer uma simulação e comparar com investimentos na poupança ou na LCI - Letras de Crédito Imobiliário.
Caso tenha dúvidas de como utilizá-lo basta ver o vídeo no YouTube sobre a sua utilização.

Obter o simulador: clique aqui


|  Twitter  | |  Depto Financeiro |